A faculdade é o começo da vida profissional de muitos. Isso porque, uma formação pode indicar várias possibilidades de profissões, isso faz com que o graduado, tenha uma possibilidade muito maior de encontrar um emprego do que aquela pessoa que só completou o ensino médio.

Mas como ganhar uma bolsa de estudos para graduação?

Existem três principais maneirais, hoje, para se entrar na faculdade. A primeira delas é através do Enem. Todos os anos, o governo elabora o exame nacional do ensino médio, onde os participantes concorrem a vagas na rede pública de ensino superior. Assim, de acordo com a sua nota, o participante pode ingressar em qualquer faculdade do país.

VEJA A MELHOR OPÇÃO DE GRADUAÇÃO E PÓS GRADUAÇÃO

A segunda principal forma é através do ProUni, o programa também é governamental, nele você tem acesso às bolsas de estudo nas faculdades privadas do país. A forma de ingresso é similar a anterior, você deve realizar o vestibular ENEM, e de acordo com a sua nota, você poderá ganhar uma bolsa de até 100% nas faculdades escritas no projeto.

Por último, temos os vestibulares próprios de cada instituição, neles você presta uma prova especifica para aquela instituição de ensino. Logo, de acordo com o seu desempenho, você pode ganhar bolsas nas faculdades estaduais do país: USP, UNICAMP, UNESP entre outras. Ou bolsas de estudo na rede particular de ensino como: PUC, Mackenzie, FGV.

Contudo, muitos estudantes resolvem continuar as suas vidas acadêmicas, mesmo depois de formados na faculdade, isso porque, preferem realizar alguma especialização na área em que se formaram. Para isso, o principal caminho que muitos tomam é ir atrás de bolsas de estudo para a pós-graduação como as de mestrado e doutorado.

Nesse caso, a forma de acesso a essas bolsas de estudo, vai variar muito de instituição para instituição, mas geralmente há duas formas muito simples de consegui-las.

As principais agências de fomento do Brasil: CNPq e a Capes. Distribuem bolsas de mestrado e doutorado para os programas de pós-graduação. Sendo eles os responsáveis por distribuir essas bolsas para os alunos.

E é por isso, que o acesso a essas bolsas de estudo, muda tanto de instituição para instituição, porque cabe a esses programas de pós-graduação, realizarem o regimento interno que vai dizer como essa distribuição vai ser feita, qual processo seletivo vai ser adotado, qual vai ser o critério de pontuação.

A primeira opção que o programa pode adotar, para distribuir as bolsas, é de acordo com a classificação do estudante no processo seletivo de ingresso para cursos de mestrado ou doutorado.

Uma segunda hipótese que o seu programa pode vir a usar, é a adoção de um processo seletivo interno, um pouco mais complexo, geralmente, programas que adotam essa segunda opção, realizam um processo seletivo a parte, com os alunos que estão interessados em receber essas bolsas.

Nesse caso, algumas coisas são consideradas como: a classificação no processo seletivo feito, análise de currículo, desempenho na entrevista, o seu índice de desempenho na faculdade, até mesmo, as suas condições econômicas podem ser consideradas.

Essas são as duas principais formas de você conseguir uma bolsa de ensino nesses dois níveis de ensino: mestrado e doutorado.

Mas vale a pena se atentar a alguns critérios, para não acabar perdendo sua bolsa. Por exemplo: as bolsas Capes, exigem que o estudante não esteja trabalhando, logo, mesmo que o aluno que tenha ficado em primeiro lugar no processo seletivo, ele não vai ser contemplado se não tiver o interesse de se afastar do seu trabalho para se dedicar, somente, aos estudos.

LEIA TAMBÉM:

COMO MONTAR UM PLANO DE ESTUDOS EFICIENTE E PRODUTIVO?